Total de visualizações de página

sexta-feira, 30 de março de 2012

eu, aos nove e meu primeiro poema:

" ... abri

a sala dava para rua

de lá via meus brinquedos imaginários"

CHUVA




chove, o leão de granito do jardim

a boca de lobo do asfalto

engolem o mau hálito da cidade


(publicado na Agenda Brasil Retratos Poéticos - Ed. Escrituras 2012)




chuva




chove

as folhas secas caem e mergulham

em degraus de pedra

chovem lembranças

avós & fogões à lenha

nas cozinhas frescas

de azulejos pintados

colho

as tonalidades daqueles dias

tia Mariana, tia Corina, tia Hilda, vovó Branca

todas sentadas em suas cadeiras de embalo

na grande sala

do tempo.







Março, 2011